Páginas

Bullyng




Dia:Sabado,20 de novembro de 2010

Homossexualidade:


28 de julho de 2008
Folha de S.Paulo - NR

MANAUS - Os índios chamados de ticuna, o grupo mais populoso da Amazônia brasileira. Um grupo de adolescentes não quer pintar o seu pescoço com jenipapo para obter sua voz grossa, pois assumiram a homossexualidade e, por isso, são debochados por toda tribo. A informação é do jornal Folha de São Paulo.
Três ticunas da aldeia Umariaçu 2, na região do Alto Solimões, em Tabatinga (1.105 km de Manaus), Afirmaram que a vida de homossexuais na fronteira com a Colômbia e o Peru e bem complicada.
 A população ticuna no Alto Solimões soma 32 mil índios. Na aldeia Umariaçu 2, que fica no perímetro urbano de Tabatinga, vivem 3.649 índios ticunas, 40% com menos de 25 anos. Nesses jovens, pelo menos 20 deles são conhecidos como homossexuais assumidos.
Como dito pela FUNAI , Fala de registros de índios homossexuas e bem elevados. Não víamos indígenas assim, agora rapidinho cresceu em todas as comunidades. Crianças de 10 a 15 anos na tribo assumem a homossexualidade.

Homossexualidade
O ticuna Clarício Manoel Batista, 32, é professor do ensino fundamental e estuda pedagogia na Universidade Estadual do Amazonas (UEA), em Tabatinga. Ele foi uns dos primeiros a assumir a homossexualidade, e diz que foi muito discriminado por indígenas e não-indigenas.
Clarício disse que contou aos pais que era gay aos 16 anos. “Meu pai não me maltratava porque sempre gostei de estudar, sempre fiz tudo em casa: limpeza, comida, lavar louça.”
Graças ao trabalho doméstico, ele ganhou o respeito da casa, afirmou.
“Na verdade, eles (os pais) não queriam que eu fosse assim (gay). Eles não gostam. Dizem: ninguém gosta desse jeito.”
Nossa opinião é que é muito errado ter preconceito. Quem estiver contra isso que crie uma comunidade no Orkut, ou um blog, ou qualquer outra coisa contra esse tipo de violência e contra todas as relatadas desde o mês de Julho sobre preconceitos e principalmente sobre o Bullying sofrido por crianças, principalmente da minha idade.

ATÉ A PROXIMA
Pesquisa:Ian e Kristopher
Redação:Ian
Fotos:Ian e Matheus
Site:Google ->desconhecido















Dia:terça-feira,19 de Outubro de 2010

Preconceito Infantil

"Estou comendo o Luís, estou comendo o Luís!” Luís,um garoto de cinco anos, escutava essa frase todas as vezes em que um coleguinha lanchava um chocolate. Com a pele negra, o garoto era associado ao chocolate. Não bastasse a piada sem graça, Luís era rejeitado pelos grupos em sua classe. Nas brincadeiras, não era chamado pela turma e ficava sozinho e rejeitado em um canto. O caso aconteceu em um colégio de Campo Grande (MS).

Na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, Juliana, hoje com dez anos, desde menor implica quando sua babá, obesa, senta em sua cama. "Tira essa b... gorda daí." Ela também não perdoa o fato de a moça, que trabalha na casa desde quando a criança nasceu, dizer algumas palavras erradas. "Não é 'questã', é 'questão'." A babá tenta convencê-la: "É que eu me esqueço". E Juliana responde: "Não, é que você é burra".




Crianças, mesmo as mais pequenas, demonstram muito preconceito e grande dificuldade para aceitar essas diferenças. Preconceito como, por exemplo, o racismo. É uma vítima comum da sinceridade cruel das crianças qualquer um que apresente uma característica "estranha" ao seu mundo, como gordinhos ("baleia" e "saco de areia"), os que usam óculos ("quatro-olhos") e os baixinhos ("tampinhas"). Sem falar dos portadores de deficiência, gagos, tímidos etc.
Nos Estados Unidos, o preconceito na infância deixa imóveis pesquisadores e é titulo de várias pesquisas. No Brasil, é raro um estudo voltado para a intolerância entre os pequenos, apesar de acontecimentos como o de Luís e de Juliana serem muitos frequentados, segundo a família, professores e pediatras entrevistados pela Revista (preferiram não revelar o nome da revista na fonte).

Fonte:
http://www.udemo.org.br/destaque_67.htm
Postador: Ian
Redação: Ian e Kristopher
Fotos: Matheus e Tiago
Criador da pagina: Ian









Dia:terça-feira,21 de Setembro de 2010

          




           Atitudes agressivas e, por diversas vezes corriqueiras, praticadas sem motivação aparente, manifestadas por um ou mais aluno contra outro estudante ou um grupo deles, é tido como bullying.
           O problema causa angústia e sofrimento à vítima que, muitas vezes é uma criança ou adolescente menor que o autor da violência e não pode se defender – ou é uma pessoa tímida com pouca atitude para responder a uma provocação verbal ou gozação de colegas de classe, por exemplo.
           No Brasil, foi realizada uma pesquisa em 2010 com alunos de escolas públicas e particulares revelara que tipicas humilhação são muitos comuns em alunos da 5ª e 6ª séries. Brasilia,Belo Horizonte e Coritiba são os locais onde mais ocorrem Bullying(não se sabe que foi ou em qual empresa foi feita a pesquisa).
           Os atos de bullying ferem princípios constitucionais – respeito à dignidade da pessoa humana – e ferem o Código Civil, que determina que todo ato ilícito que cause dano a outrem gera o dever de indenizar. Pessoas que são responsaveis pela agressão chamada Bullying pode ser enquadrado no consumidores e o aluno que fizer esse ato podera ser punido com suspensão ou até uma expulsão.(que ocorra dentro do colegio)



Redação:Ian e Kristopher
Postador:Ian
Busca por imagens:Matheus e Tiago




Postagem anteriores:

O que é Bullying?

        
Bullying  se caracteriza por atitudes agressivas,verbais ou físicas de maneira repetitiva por parte de um ou mais alunos contra outros alunos. Em inglês significa o verbo "intimidar,ameaçar".
Estão inclusos no bullying os apelidos criados para humilhar os alunos ou amigos. E, não adianta, todo ambiente escolar pode ter esse problema.
O papel dos professores é fundamental. "Existem atividades que podem ser feitas em sala de aula para falar desse problema com os alunos”
Claro que não se pode acabar com as brincadeiras entre amigos na escola. O que a escola precisa é limitar a piada aceitável. "Isso não é tão difícil. Basta que o professor se coloque no lugar da vítima. O apelido é engraçado? Mas como eu me sentiria se fosse chamado assim?", orienta o médico. Ao perceber o bullying, o professor deveria corrigir.
O pediatra lembra que na escola não consegue resolver o problema, mas é normalmente nesse ambiente que se demonstram os primeiros sinais de um agressor.

Redação:Ian e Kristopher
Pesquisa:Ian e Kristopher
Imagens:Tiago e Matheus
Criação da Pagina e publicador:Ian
Fonte:
http://revistaescola.abril.com.br/crianca-e-adolescente/comportamento/bullying-escola-494973.shtml





Bullying




Bullying:
A palavra bullying é ultilizada para
descrever uma forma de assédio interpretado por alguém que está, de alguma forma, em condições de exercer o seu poder sobre alguém ou sobre um grupo mais fraco.bullying é denominado por Dan Olweus em três termos essenciais:

1.o comportamento é agressivo;
2.o comportamento é executado repetidamente;
3.o comportamento ocorre num relacionamento onde há um desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.

Tipos de Bullying:
*insultar um defeito de uma pessoa.
*Ataques físicos.
*Fazer com que a vitima faça o que não quer.
*Chatagem
*Expressões ameaçadores.
*Fazer com que a vitima passe por situações vergonhosas.
*Isolamento da vitima
*e muitos outros...

Fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bullying

Grupo:Ian,Matheus,Kristopher e Tiago
Redação:Ian.
Pesquisa:Ian,Kristopher e Matheus.
Imagens:Ian e Tiago.



2 comentários:

  1. Postem um coméntario pessoal :D

    ResponderExcluir
  2. OI GENTE!! PRECISO DE UM FAVOR:,

    NO DIA 8/11/12, FOI PERDIDO UM TABLET DE MARCA ''HTC' NO COLÉGIO. ELE É BRANCO E TEM UMA CAPINHA PRETA!! QUEM ACHAR POR FAVOR DEVOLVA PARA O ALUNO PEDRO AUGUSTO DA TURMA 8T1 OU PARA ORIENTAÇÃO... OBRIGADA!

    ResponderExcluir